22.3 C
Lagoa da Prata
domingo, outubro 17, 2021
spot_img
Mais

    Últimas Notícias

    Dia dos Pais

    Mês de agosto, mês dos pais… Feliz de quem tem o seu, e que passou abraçadinho no segundo domingo do mês. Eu já não o tenho mais. E quando vai chegando esse dia, sinto um vazio enorme, como se tivesse que fazer alguma coisa e não saber o que.

    Mas no fundo, eu sei… Sinto a falta da expectativa que tinha, do presente que eu queria dar, de preparar a surpresa, de ajudar a minha mãe a preparar a festa que ele curtia tanto. Meu pai era uma peça rara.

    Quem não o conhecia bem e via aquele rosto sisudo, não sabia o que se escondia naquele coração do tamanho do mundo. Tinha um jeito diferente de ser, de amar e de demonstrar o amor que sentia por todos que se aproximavam dele.

    Lembro-me de ainda menina, vê-lo chegando em casa de vez em quando com algum menino de rua, pedindo para minha mãe dar banho, roupa e comida. Outra hora, trazia um cãozinho debaixo do braço, por ter achado perdido na estrada ou na rua pelas madrugadas quando saía para viajar.

    E com os amigos, ele sempre pegava a gente de surpresa, hora para um café, outra hora para beliscar alguma coisa, só não admitia ver alguém com fome. Minha mãe gostava de fritar bolinhos ou biscoitos, coisa que ele amava.

    E de repente, lá estava ele, enchendo as mãos, e procurando saquinhos para levar para os companheiros na esquina. Quando foi trabalhar na Apae, apaixonou-se pelos meninos, e tinha os seus pupilos, para quem sempre queria levar alguma surpresinha e agrados.

    Meu pai era fora de série. E muitos de nós, só fomos descobrir esse pai, quando já crescidos. Passamos muito de nossas vidas vendo-o sair de madrugada e só chegando quando era noite, cansado e calado depois das longas viagens nos vários caminhões que ele dirigiu por este Brasil afora, transportando de tudo um pouco, principalmente petróleo no final da jornada.

    E quando amadurecemos e vimos o tesouro que tínhamos, já era tempo de cada um sair pelo mundo também e ir fazer a sua vida. E Deus ainda o levou muito cedo… Quando chega o Dia dos Pais, sinto um aperto no peito de saudade, um vazio enorme em minha vida.

    Mas volto meu olhar para o hoje, e de repente vejo outros pais no seu lugar. Meu filho que já é pai, e graças a Deus, tão bom e tão íntegro quanto foi o meu. Meus genros, que também são, me deram netos que são a razão da minha vida e me enchem de orgulho pelo amor e pelo jeito com que cuidam de suas famílias.

    Sou uma pessoa muito abençoada. Primeiro, pelo pai que tive, e depois, pelos pais que tenho na minha família. A vida é assim, são ciclos que vão se fechando e outros que vão começando, dias de dizer adeus e sentir saudade e outros de agradecer os presentes que vão chegando com o tempo.

    Então, nesse Dia dos Pais, compartilho a saudade daqueles que como eu, não tem o seu para abraçar. Mas compartilho ainda mais, o abraço das novas gerações, como os netos dos meus pais que agora são os donos dessa festa.

    Que sejam sempre o reflexo de vida que meu pai nos deixou eternizado na mais doce saudade…

    Latest Posts

    spot_imgspot_img

    NÃO DEIXE DE VER

    Notícias por e-mail

    Receba nossas atualizações e fique bem informado todo dia.